Mamãs estejam sempre alertas!!!

21.4.06

Parasitose intestinal

O que é a parasitose intestinal
É uma doença que pode ser provocada por um ou, simultaneamente, vários tipos de parasitas que se instalam no intestino dos seres humanos.

Quais as causas
Os parasitas intestinais mais frequentes em Portugal são os nemátodos, como as "lombrigas" (Ascaris lumbricoides), os oxiúros (Enterobius vermiculares), os tricocéfalos (Trichiuris trichiura), os ancilostomas (Ancylostoma duodenale) e os estrongiloides (Strangyloides stercoralis), os céstodos, como as ténias (Taenia solium, Taenia saginata), e os protozoários, como a ameba (Entamoeba histolytica), e a giardia (Giardia lamblia). A Giardia lamblia é um protozoário que se tornou um dos mais frequentes e importantes parasitas intestinais. A infecção por giardia pode ser adquirida por ingestão de água e de alimentos contaminados ou através de contágio pessoa a pessoa, por via fecal-oral, possível no ambiente familiar, numa creche ou instituição ou também no contexto de uma relação homossexual masculina. A forma activa da giardia vive na parte superior do intestino delgado, sendo eliminados quistos através das fezes, que têm a capacidade de infectar a pessoa que os ingerir. Os quistos resistem aos níveis de cloro habitualmente existentes nas águas das redes municipais, mas são destruídos pela fervura.Os oxiúros (Enterobius vermiculares) são muito frequentes, e têm o aspecto de linhas brancas com cerca de 1 cm de comprimento. Vivem no cólon e no recto e durante a noite os parasitas fêmeas deslocam-se para a região perianal para aí colocarem os seus ovos. O Trichiuris trichiura vive fixado à parede do intestino grosso. Os seus ovos são eliminados com as fezes do paciente e permanecem no solo, sendo necessárias duas a quatro semanas para se tornarem infecciosos. Os Ascaris lumbricoides, ou lombrigas, como são vulgarmente conhecidas, podem chegar a medir mais de 30 cm. O Ascaris vive na parte superior do intestino delgado. Cada parasita fêmea pode produzir cerca de 200.000 ovos por dia, que são eliminados pelas fezes do portador. Os ovos permanecem no solo, sendo muito resistentes a diferentes condições climáticas, podendo manter a capacidade de infectar durante meses. Os ovos do parasita são ingeridos, quer pelas mãos sujas da criança que brinca, quer por ingestão de alimentos crus (frutos ou vegetais) contaminados com produtos de fezes. Após os ovos terem sido ingeridos, desenvolvem-se larvas no intestino, que atravessam a parede deste, entram em circulação, dirigem-se aos pulmões, de onde se deslocam dos alvéolos à traqueia, para serem deglutidos e se desenvolverem no intestino como parasitas adultos.

Quais os sintomas
Os parasitas intestinais podem provocar sintomas gerais, como falta de apetite, vontade de vomitar (náusea), vómitos, cansaço, diarreia ou cólicas intestinais, podendo alguns dos parasitas provocar problemas específicos.O sintomas mais comum da infecção por Giardia é a diarreia, que pode ser aguda ou intermitente. As fezes são habitualmente muito mal cheirosas. As crianças atingidas podem manifestar também falta de apetite, cólicas abdominais, flatulência e perda de peso. Por vezes a criança apresenta sinais mais graves de doença, como distensão abdominal, má absorção de gorduras e lactose, e atraso de crescimento. No entanto, cerca de 76% das pessoas afectadas não apresenta qualquer sintoma.A principal manifestação da infecção por oxiúros é o prurido anal, provocada por uma reacção alérgica às proteínas do parasita. O acto de coçar podem provocar escoriações. Nas raparigas pode surgir prurido e desconforto vaginal. Ao coçar-se, o doente pode voltar a infectar-se por via oral, com as mãos sujas, ou provocar a doença em outras pessoas. A maioria dos portadores de oxiúros não apresenta, no entanto, qualquer sintoma. Nalgumas crianças com Trichiuris trichiura, a infecção manifesta-se por dor umbilical e diarreia, que pode por vezes ser intensa e chegar a produzir prolapso rectal. A criança pode manifestar também anemia e má nutrição, sobretudo quando está infectada por vários tipos de parasitas intestinais. A maioria das pessoas infectadas com Ascaris pode não ter sintomas ou ter apenas algumas dores abdominais. Por vezes, tem conhecimento da sua infecção, quando uma lombriga é observada nas fezes ou então é expelida pela boca ou pelo nariz. Nalguns doentes pode desenvolver-se má nutrição e por vezes acumulam-se muitas lombrigas no intestino, provocando um quadro de obstrução, com vómitos, dor abdominal e distensão abdominal. Em alguns doentes pode desenvolver-se um quadro de dificuldade respiratória, semelhante a uma pneumonia.

Como se diagnostica
O diagnóstico da infecção por Giardia pode ser feito de várias formas. A análise no laboratório de 3 amostras de fezes, revela quistos de Giardia em 50 a 90% dos doentes. Por vezes é necessário recorrer a endoscopia intestinal e biopsia do intestino delgado para estabelecer um diagnóstico definitivo.O diagnóstico de oxiúros é feito pela observação de parasitas na criança ou nas suas roupas, podendo realizar-se um teste com fita adesiva na região perianal que se examina ao microscópio para detectar a presença de ovos. As análises de amostras de fezes no laboratório raramente mostram a presença de oxiúros.O diagnóstico de Trichiuris trichiura e de Ascaris é feito por análise no laboratório de amostras de fezes.Como se desenvolve A parasitose intestinal pode ser detectada e tratada com bons resultados, sobretudo nos doentes que apresentam sintomas. Quando a infecção não manifesta sintomas, pode evoluir de forma crónica durante muito tempo até provocar problemas como, por exemplo, a dor abdominal ou a má nutrição.A evolução da doença depende do parasita em causa, da quantidade de parasitas presentes, do estado geral de saúde do doente e das suas capacidades de defesa, sendo o tratamento na maior parte dos casos eficaz, desde que se cumpram as normas de prescrição e os cuidados gerais de higiene e de tratamento das pessoas (e animais domésticos, quando indicado), que contactam com o doente.

Formas de tratamento
O tratamento é feito com medicamentos, devendo ser respeitados os cuidados habituais de higiene.

Formas de prevenção
A melhor forma de prevenir as parasitoses é respeitar e cumprir as normas de higiene comuns, como:
manter os alimentos e os depósitos de água bem cobertos;
beber apenas água potável,
ou ferver a água por 10 minutos;
lavar bem os alimentos como verduras, frutas e hortaliças;
manipular os alimentos sempre com as mãos limpas;
cozinhar bem as carnes, antes de consumi-las;
não deixar as crianças brincarem em águas de enchentes, lagos e fontes;
lavar com frequência as roupas interiores e de cama;
manter sempre os sanitários limpos;
lavar as mãos antes de comer, antes e depois de ir aos sanitários;
manter sempre limpas e cortadas as unhas dos pés e das mãos;
e tomar banho com frequência.

Doenças comuns como diferenciar
Existem outras doenças que podem provocar dores abdominais, perda de peso e períodos de diarreia, cuja possibilidade o médico assistente avalia através da história clínica, da observação e de exames complementares apropriados. Outras designações Helmintíase.Quando consultar o médico especialista Sempre que se suspeita da existência de parasitose intestinal, deve ser consultado o médico assistente para orientar o tratamento.Pessoas mais predispostas As crianças, pelas suas actividades, estão mais predispostas ao contágio através das suas mãos, que facilmente sujam e colocam na boca.
Outros Aspectos
As crianças, pelas suas actividades, estão mais predispostas ao contágio através das suas mãos, que facilmente sujam e colocam na boca.